Marcadores

terça-feira, 21 de julho de 2015

Proposta de redação sobre o aborto no Brasil

(fonte da imagem: https://parroquiaicm.wordpress.com/2012/06/20/un-debate-interesante-sobre-el-aborto-y-sus-consecuencias/)

Olá a todos!

Há um tema que gera debates intermináveis em nossa sociedade: mudanças na legislação sobre o aborto. De uma maneira geral, o aborto é ilegal no Brasil. Contudo, ele é permitido em três situações: quando a gravidez foi resultado de um estupro; quando a vida da gestante está em risco devido à gravidez; e quando o feto for anencéfalo. Apesar de ser proibido nos demais casos, estima-se que ocorrem centenas de milhares de abortos por ano em nosso país, o que torna essa prática um grande problema para a sociedade e para o governo brasileiro.
Como é um tema bastante polêmico e recorrente, você não pode deixar de praticar a escrita de um texto argumentativo sobre o assunto.

Dessa forma, redija um artigo de opinião sobre o tema É NECESSÁRIO MUDAR A LEGISLAÇÃO SOBRE O ABORTO NO BRASIL?

As três primeiras redações postadas nos comentários serão corrigidas GRATUITAMENTE.

Leia os textos motivadores a seguir para conhecer mais sobre o tema.


https://pt.wikipedia.org/wiki/Aborto_no_Brasil

http://oglobo.globo.com/brasil/tabu-nas-campanhas-eleitorais-aborto-feito-por-850-mil-mulheres-cada-ano-13981968

http://www.saudeesustentabilidade.org.br/index.php/saiba-em-quais-circunstancias-o-aborto-e-legal/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Debate_sobre_o_aborto

15 comentários:

  1. Compreende-se que a legislação sobre o aborto suscita opiniões diferentes e conflitantes dos diversos segmentos sociais brasileiros. Desse modo, é discutido sua alteração de maneira que as opções circundam em uma flexibilização, restrição e permanência da legislação vigente.
    De acordo com pesquisas recentes realizadas por Universidades Federais e Organizações Não Governamentais (ONGs) foi demonstrado que o aborto já é problema de saúde publica, ocasionado, principalmente, pelos abortos ilegais. Assim, é posto em questionamento se a atual legislação destinada ao assunto é realmente eficaz quando baseada nos indicadores que foram verificados que agregaram um alto valor econômico para o Estado - que é responsável pelo atendimento médico prestado à paciente que optou pelo aborto por vias não legais e teve complicações durante o procedimento- e o grande número de óbitos maternos – esses, mais uma vez, é comum nas mulheres que não são amparadas pela lei.
    Nesse contexto, é preferível uma legislação mais abrangente e tolerante, haja vista que a proibição da prática – que é a maioria dos casos – não impede que a mulheres não interrompam a gravidez voluntariamente, mas sim recorram ao abortamento clandestino, precário e altamente inseguro. É nessas ‘’abortistas ilegais’’ que os indicativos das pesquisas mais pesam e é área em que o governo deve atuar.
    Em síntese, é preciso que o tema seja debatido pensando no altíssimo número de mulheres que procuram e fazem o aborto no Brasil. O governo não pode deter o consentimento de quem poder ou não ter filhos. Essa é uma opção da mulher. Contudo, o Estado deve oferecer o amparo com infraestrutura para as mulheres que desejam fazer o aborto, juntamente com acompanhamento psicológico e orientação que ajude a gestante a tomar sua decisão. Além disso, é possível conciliar os argumentos de quem é contrária a prática do aborto a partir de campanhas informativas e educativas que evitem a gravidez indesejada, dirigidas, sobretudo, para a faixa etária mais propicia a essa escolha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. - Fique atenta ao uso das letras maiúsculas e minúsculas. A escrita correta é "universidades federais". Se você se referir a uma universidade específica, como a Universidade de Brasília, o uso da letra maiúscula é o adequado;
      - Estude um pouco mais os usos da vírgula. Quando você utiliza expressões como "De acordo com pesquisas recentes realizadas por Universidades Federais e Organizações Não Governamentais (ONGs)" no início de orações, você precisa empregar a vírgula. Apesar desse equívoco, você tem melhorado nesse aspecto;
      - No trecho " O governo não pode deter o consentimento de quem poder ou não ter filhos", ficou claro que você está criticando o governo, mas a segunda ocorrência do verbo "poder" e o verbo "deter" deixaram o seu enunciado confuso. Faça sempre uma releitura atenciosa para corrigir esse tipo de equívoco na versão final dos seus textos;
      - Fique atenta à acentuação das palavras. No final do seu texto, você deveria ter escrito "propícia", já que se refere ao substantivo. "Propicia", sem acento, se refere ao verbo "propiciar".
      Nota final: 880

      Excluir
  2. Professor, por favor, não deixe de publicar as propostas - fazia um bom tempo que você não postava um tema de redação, pensei até que tinha desistido do projeto. Enfim, adoro suas propostas. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Quando se fala no assunto ‘’aborto’’, além de ser um tema delicado , possui intermináveis discussões e posicionamentos, principalmente por questões religiosas e jurídicas. No entanto, não é nenhuma novidade que haja um número bastante expressivo de casos de aborto ilegal no Brasil.
    Relevante ressaltar que , legalmente, o aborto só é aceito pela legislação se houver caso de estupro, o nascimento do feto possa prejudicar a saúde da mãe ou que o feto seja acéfalo. É uma decisão bastante justa por parte desta, porém, ao contrário do papel, a situação é totalmente diferente, há muitos casos de abortos clandestinos, que colocam em risco a vida de que procura este procedimento.
    É nítido nos documentários jornalísticos e em estatísticas que a maioria das mulheres que procuram por aborteiro sejam adolescentes e que muitas vezes procuram este método por questões socioeconômicas e pelo medo de criarem os filhos sozinhas, sem apoio da família ou do pai da criança. Por outro lado, embora viva-se em um país laico, questões religiosas ainda possuem muita influência na sociedade e por esta considerar o aborto algo imoral, ocasiona em muitos julgamentos sem uma finalidade.
    Todavia, as discussões são intermináveis, há opiniões dicotomicamente contundentes, e mesmo que prossigam os abortos ilegais, não há necessidade de haver mudança na legislação; isso faria com que muitos jovens tivessem relações desprotegidas de camisinha e achassem que o aborto resolveria tudo, mas sim, ONG’s e programas governamentais, juntos, impulsionados pela legislação, oferecessem palestras obrigatórias sobre o uso de preservativos na escolas e passando, através de meios de comunicação, informação, pois é isso que a população precisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. - A estruturação do seu primeiro período não ficou boa. A origem desse erro advém da estruturação sintática do verbo "possui", já que o sujeito dele não está se comportando como um sujeito típico. Sugiro que você reescreva o primeiro período da seguinte forma: "O debate sobre o aborto no Brasil’, além de abordar um tema delicado, possui intermináveis discussões e posicionamentos devido a questões religiosas e jurídicas";
      - Faltou você inserir uma conjunção explicativa, como "pois", antes de "há muitos casos";
      - Como você está se referindo a uma pessoa, escreva "em risco a vida de QUEM procura";
      - No terceiro parágrafo, troque "sejam" por "são" e insira o artigo indefinido "um" antes de "aborteiro";
      - Sua conclusão ficou mal articulada. Sugiro que você a refaça. Leia e releia o que você escreveu várias vezes. Pense no que pode não ter ficado claro e como você pode mudá-la. Que demore uma semana inteira tentando. Faça com calma e sem pressa. Práticas como essa fazem com que você evolua de verdade na redação;
      - Sugiro que você escreva com mais calma. Sinto que você tenta escrever rápido para não perder a cota. Escreva com mais calma, pois isso melhora a qualidade do seu texto. Não se preocupe tanto com a cota.
      Nota final: 620.

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Quando se fala em temas polêmicos, o aborto e sua legalização, é um dos que logo vem à cabeça das pessoas. E não deveria ser diferente, já que se discute na verdade, a interrupção ou não de uma vida. Entretanto, apesar das leis brasileiras permitirem o aborto em casos extremos, não permite em outros. E isso acarreta em sérios problemas para sociedade, como abortos feitos de forma ilegal e filhos criados sem a devida educação que merecem.
    Muitos são os casos de mulheres que engravidam, mas não querem ter filhos. Então elas procuram clínicas clandestinas ou tomam medicamentos para abortar. Porém, esses procedimentos, na maioria das vezes, não são realizados ou indicados por médicos ou profissionais experientes, exatamente por serem proibidos por lei. Logo, muitas dessas mulheres ficam com a saúde prejudicada ou acabam morrendo.
    Além disso, quando uma criança vem ao mundo sem ser planejada e sem ter o amor dos pais ela perece em não ter tudo aquilo que merecia. Essas crianças, muitas vezes, são criadas pelos avós, que infelizmente, não podem suprir a falta dos pais. Segundo um relatório gerado pelo Unicef, grande parte dos adultos que partiram para o mundo do crime no Brasil, foram crianças que não conviveram com o pai ou a mãe durante parte de sua infância.
    Por tudo isso, deve se destacar a importância da mudança na legislação que rege o aborto em suas diversas nuances no Brasil para que problemas como os citados não venham a ocorrer. Ademais, alguns países desenvolvidos tem no aborto um direito da mulher que deve ser respeitado por lei e isso não faz dela um ser humano melhor ou pior. Portanto, o Estado não deve ter o poder de interferir nesse tipo de escolha, sendo o homem dono de seus erros, acertos e suas consequências.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. - No primeiro parágrafo sugiro que você substitua "o aborto e sua legalização, é um dos" por " o debate sobre o aborto e sua legalização é um dos";
      - Insira um artigo antes de "sociedade" na linha 4;
      - Ótimo texto!
      Nota final: 920

      Excluir
    2. Há muitos erros no seu texto que o professor não apontou.
      Não pode haver vírgula após legalização, não se separa sujeito do verbo.
      Na verdade deve estar entre vírgulas.
      Se as leis brasileiras permitem aborto em alguns casos, não PERMITEM em outros. O verbo deve ter a mesma flexão já que se refere ao mesmo sujeito.
      O verbo acarretar, nesse caso, é OD, por isso, acarreta sérios problemas, e não EM sérios problemas.
      Após "sem ter o amor dos pais" é necessário o uso de vírgula.
      Vírgula incorreta após Avós, a vírgula deve ser após "que".
      No aborto deve estar entre vírgulas.
      Após lei, deve haver vírgula, pois quando se utiliza o " e", mas os sujeitos são diferentes em cada oração, elas precisam estar separada por vírgulas.
      Sendo o homem dono de SEUS erros, SEUS acertos e SUAS consequências. Precisa haver paralelismo, se colocasse artigo em um item da enumeração, deve ter em todos, assim como os pronomes e como as preposições.

      Espero ter ajudado. O professor não tem feito as correções de forma crítica.
      Em um concurso, você não obteria nota maior que 7. Talvez nem seria aprovado.

      Abraços!

      Excluir
  6. Corrupção no Brasil



    Campinas 28/01/2016

    Excelentíssima Presidenta Dilma Rousseff.

    Venho  através desta carta colocar  em debate um dos assuntos que tem gerado polêmica em todo o Brasil.

    Considerando esse fato, o  nosso  país  tem se encontrado em uma  grande crise  financeira que  atingiu milhões de  brasileiros na economia, que como  consequência provocou desempregos, fome, aumento nas necessidades  básicas, o alto preço no combustível, entre outros setores.

    Cara Presidenta, o que a vossa excelência irá fazer com o dinheiro  público para melhorar os pontos  citados?

    Por tudo que foi dito, venho sugerir que financie projetos socais que possam  abrir portas para os desempregados, programas educacionais para crianças e adolescentes, investir em colaboradores socais que possam ajudar famílias carentes, para que a qualidade de vida  do Brasil venha a ser aprimorada.

    Atenciosamente,

    Uma estudante.

    ResponderExcluir
  7. TÍTULO: A LIBERAÇÃO DO RESPALDO
    Atualmente, o que vem gerando grandes polémicas na mídia Brasileira é a legalização do aborto. Muita contestação desse assunto deve ser analisada em diversos aspectos, pois estima-se no Brasil que a cada dois dias uma mulher morre cometendo o infanticídio e trazendo grandes riscos à sua saúde.
    Em primeiro lugar, a legalização do respaldo foi liberada em nosso País em casos como estupros, anencefalia e gravidez de alto risco. A anencefalia em si é uma doença rara, onde o neném nasce sem a parte do encéfalo, acarretando a morte da criança em poucas horas após seu nascimento. O estupro e a gravidez de alto risco irão depender da vítima, consciência sobre a criança e dos riscos ao praticar o aborto.
    No entanto, é necessário se preocupar com a criança que está no ventre materno da futura mãe, já que, o bebê não teve culpa de sua concepção. Além do mais as gestantes poderiam doar seus recém-nascidos aos orfanatos para que outras famílias os adotassem e prevenissem o risco para sua saúde.
    Fica claro, portanto que a legalização do aborto já tem seus princípios, com razões específicas para comete-lo. Porém, é necessário ter diversas modificações no governo Brasileiro, como estrutura hospitalar, com equipamentos, que se caso houver a liberação precisa ser de última linha para a paciente. Ao contrário de que possa imaginar, com a possível legalização do aborto poderíamos ter menos mortes causados por este ato e possivelmente baixa prática dessa façanha, devido à liberação em todo território nacional.

    ResponderExcluir
  8. A expressão aborto caracteriza-se pela morte do embrião ou feto. Apesar de ser crime de acordo com a IAG o aborto é praticado por mais de um milhão de muheres no Brasil todos os anos. As pobres, as ricas, as baixas, as altas, as magras, as gordas, abortão e vão continuar abortando pois a decisão de interromper uma gravidez e pessoal e envolve varias questões que não podemos controlar.
    De acordo com a revista galileu.com nenhuma mulher morreu depois que o aborto foi regulamentado no Uruguai. No Brasil as complicações do aborto só vão parar de acontecer depois que o aborto for liberando no Brasil, pois as mulheres não vão mais precisar procurar clinicas clandestinas e passarem por varias consequências como danos a saúde ou até mesmo a morte.

    ResponderExcluir
  9. A LEGALIZACAO DO ABORTO NO BRASIL

    Sabe-se que a populacao vem discultindo opinioes sobre a liberacao do aborto .com inumeros casos de inlegalidade,o aborto vem-se acontecendo por tras das leis q se aplica sobre esse tipo de caso ,por causa de varios acontecimentos ,relevando-se saude e ate com gravidez indesejada.
    sendo asssim esse tipo de liberde vem sido apurado devido a varios fatores ,entre a saude da mulher em relacao a sua propia e ate a de seu bebé.Relacionado-se sobre poblemas futuro reecenascido com causas de doecas graves .
    Em relacao a este assunto apresenta-se varias mulheres q ficam gravidas em casos de estrupós .Com essas acao violenta aumenta ainda a discurcao sobre o caso ,fortificando o apoio ao que vem-se descultindo.
    sendo assim com relacao ao assunto apresentado cabe ao governo disculte eaprimorar,e ate criar um tipo de lei que convem as mulhres,e fiscalizar e aplicar a pena se caso precisar.Deve estauda cada caso apresentado sem deixar de lado a soçlucao do problema que vem comovendo a vida delas..

    ResponderExcluir
  10. porfavor corrija meu texto e quanto eu tiraria de ponto

    ResponderExcluir